Assédio Moral: abuso do chefe incompetente PDF Imprimir E-mail
Qui, 09 de Junho de 2011 11:36

Trabalhar, muitas vezes por si só já representa um sacrifício, se levado em consideração o longo tempo de deslocamento de casa até o local de trabalho em ônibus lotado, para aqueles que moram longe e o fato de não dispor de local adequado ou alguém para tomar conta dos filhos durante a ausência dos pais, entre outras diversas dificuldades.

Mas, em alguns casos, além dos problemas individuais, o trabalhador enfrenta situações de constrangimento, humilhação e abuso de poder dentro do ambiente de trabalho.

Esta pratica, quando superior de utiliza de sua posição para ferir, desmoralizar, desestabilizar ou desqualificar profissionalmente ou moralmente o trabalhador é chamado de Assédio Moral e deve ser duramente punido e desencorajado pelas empresas e, caso a empresa não tome providências, denunciado pelo trabalhador.

Os atos abusivos, perversos e covardes dos chefes, gerentes, ou qualquer funcionário em cargo superior ao trabalhador, tendem a tornar o ambiente de trabalho insuportável e a situação hostil pode forçar até o pedido de demissão.

Para a empresa, é sinal de clara falta de visão permitir que estes atos sejam praticados, já que o fato do trabalhador se encontrar em estado de insegurança e pouco à vontade no setor onde presta seus serviços ocasiona p desestimulo e perda de qualidade no trabalho, além do baixo rendimento deste empregado.

Já, o superior que pratica tais atos com seus subordinados prova sua incompetência com relação à gestão de seus empregados e o relacionamento com os colegas de trabalho tão difundido e valorizado no mercado de trabalho.

O assedio moral acontece quando as chefias não tem o devido treinamento ou são escolhidos de forma aleatória sem, necessariamente contarem com a capacidade necessária para o desempenho da função de liderança.

A falta de competência nas relações interpessoais, faz com que esses chefes se utilizem do medo para conquistar seus objetivos.

O trabalhador que se sente humilhado ou intimidado por seu superior, são amparados pelo projeto de lei nº 4742/2001, que prevê que:

 

Depreciar, de qualquer forma e reiteradamente
a imagem ou o desempenho do servidor
público ou empregado, em razão
de subordinação hierárquica funcional ou laboral,
sem justa causa ou tratá-lo com rigor excessivo,
colocando em risco ou afetando a sua
saúde física ou psíquica:

Um a dois anos de detenção

 

Segundo a lei, o assedio moral pode ser abordado como causa de rescisão indireta de contrato de trabalho.

Isso significa que o trabalhador pode considerar encerrado o contrato de trabalho com direito a rescisão indenizatória.

 

________________________________

Vanda Moraes

Jornalista DRT/PR 8504
Assessoria de Imprensa SINDIURBANO-PR
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
www.twitter.com/sindiurbanopr
Última atualização em Qui, 14 de Fevereiro de 2013 15:51
 

Pesquisar no site

Horário de Atendimento

Multimídia

Jornal URBANOTÍCIAS

Banner

Boletim SINDIURBANO-PR

Banner

Jornal da CUT

Banner

Parceiros

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner